Veja se seu PC foi infectado pelo vírus que atingiu 3 milhões de máquinas

Com ajuda de Symantec, Microsoft e outros parceiros, a Europol confiscou equipamentos do grupo por trás do botnet conhecido como Ramnit – que é identificado pela Symantec como W32Ramnit.B e foi responsável por infectar cerca de 3 milhões de computadores pelo mundo.
O vírus chegava a suas vítimas através de phishing e sites maliciosos, que forçavam o download e execução do arquivo que habilitava os acessos de criminosos às máquinas dos usuários.
O Ramnit mirava especificamente usuários do Windows e dava até o controle remoto do PC ao hacker. Os países mais atingidos foram Índia, Indonésia, Vietnã e Blangladesh, mas cerca de 3% dos ataques ocorreram no Brasil.
Para acabar com o botnet, as autoridades localizaram e apreenderam servidores juntamente com máquinas ligadas a 300 endereços de IP utilizados para os ataques.
O Ramnit, como era de se esperar, não é detectável de forma simples, e, embora novos ataques tenham sido coibidos, o botnet ainda pode executar ações nas máquinas infectadas. A Symantec criou uma ferramenta que consegue verificar se o PC foi infectado e ajuda a removê-lo. CLIQUE AQUI
* Fonte: Olhar Digital

Publicado por

Daniel Morais

Comecei na área de TI há um bom tempo (1991) com aqueles cursos de MS-DOS 6.22, WordStar, Lotus123, Dbase III Plus, etc. Adorei programar em Dbase III Plus utilizando Dbf; achei fantástico quando aprendi a programar em Clipper Summer 87 e posteriormente Clipper 5.x, que era muito estável em rede utilizando Novell NetWare. Desde então sou um fanático por TI. Hoje desenvolvo aplicações para Windows, Android, OS X e Linux utilizando Lazarus (free Pascal) . Blogueiro (www.infocotidiano.com.br, www.aprendalazarus.com.br, www.startdb.info). Além dos meus Blogs tenho um canal no YouTube o www.youtube.com.br/infocotidiano onde tenho mais de 1 Milhão de visualizações com vídeos de dicas diversificadas que vão desde solucionar um erro de impressão, curso sobre banco de dados, até criar software multi-plataforma utilizando o Lazarus.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *